quarta-feira, 11 de julho de 2012

Preguiça


   


   Deixo os passos lentos e pesados,
   os cabelos sem vida e desarrumados,
   com espinha inflamada
   e a vida chata e entediada. 

   Tem sempre alguém que me chama,
   quando me jogo na cama.
   Levanto-me devagar
   com o olhos caídos, quase sem enxergar.

   Mamãe sorri dizendo que não gosta disso,
   mas gosto de ver seu sorriso.
   Mas o que posso fazer?
   Dormindo é que tenho prazer.